Armagedom

Publicado: junho 27, 2011 por blogdapresbi em Poesia

Fende-se no zênite uma garganta
de lume ofuscante, fogo e calor…
Do céu se ouve volumoso estertor
que em toda a terra, o povo se levanta.

A voz que se ergue lastima e canta
jactâncias, vivas, brados ao Senhor!
Surge o Cordeiro em Seu pleno esplendor
cutelo em punho, terror e ira santa.

Em desordem os povos se arrastam
soluços se ouvem, desespero e pranto,
funestos horrores que os assaltam.

Não há onde se ocultar, em nenhum canto,
na terra toda, reféns se exaltam
ante a MORTE que arrasta o negro manto.

Francisco Ferreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s