Posts com Tag ‘DINHEIRO’

Após as denúncias mostradas no programa Sábado Incrível, da emissora de TV ‘DROCER’, de suposto enriquecimento ilícito com o dinheiro repassado de sua igreja, a Igreja Global do Reino de Deus, O apóstolo Valdomiro Macedo, fez uma última declaração através de sua assessoria de imprensa, que deixou de existir logo em seguida.

Em nota aos meios de comunicação, o líder religioso afirma estar arrependido de haver enriquecido pregando de forma distorcida a mensagem da Bíblia, induzindo seus fiéis a darem seu dinheiro em troca de promessas no nome de Deus. Como sinal de arrependimento, o apóstolo Valdomiro vendeu sua fazenda, avaliada em 30 Milhões, e comprou o terreno da ‘comunidade do “Eucaliptinho”, no Grande ABC paulista, que ganhou destaque após a reintegração de posse violenta e violadora dos Direitos Humanos promovida pelo Governo do Estado em favor do ex-especulador e empresário, Sr. Magi Gagas.
O terreno e as casas estão sendo devolvidos aos seus antigos moradores de forma gratuita, num ato de caridade sem precedentes na história do Brasil.

“Quando vi aquela matéria sobre mim na televisão, uma tristeza profunda tomou canta do meu coração e um grande arrependimento me aconteceu. Abri a Bíblia na passagem de Lucas 19, em que Zaqueu, um homem que se apropriava indevidamente da riqueza do povo, se arrepende após a visita de Jesus e dá suas riquezas aos pobres.”.
Quanto à sua igreja, o apóstolo, que agora prefere ser chamado apenas de Sr. Valdomiro, está encerrando as suas atividadese orientando os antigos pastores de suas mais de 500 filiais que doem todo o dinheiro arrecadado e que saiam dos imóveis alugados e ponham à venda os imóveis de propriedade da igreja.

Surpresos com esta atitude, muitos fiéis estãoainda sem saber o que farão no próximo domingo. Dona Euzira, frequentadora e contribuinte assídua da igreja afirma: “Acho que neste domingo, já que não tem mais culto lá, vou me juntar com minhas amigas para oferecer um sopão para os moradores de rua e orar por eles! Aprendi muito com este exemplo do Sr. Valdomiro, da importância que o próximo tem, acima dos meus próprios interesses! Isso sim é agradar a Deus! Mas vou procurar uma igreja que seja diferente desta para frequentar.”. – Casos de caridade como este tem crescido entre os fiéis!

Alguns outros fiéis vão buscar outras igrejas, como o sr. José: “Independente da igreja ter fechado, eu sei que Deus vai me abençoar com muito dinheiro, pois estava num propósito de dar 50% do que eu ganho há mais de 3 meses! Não tem sobrado muito para meus filhos nem para mim, que dirá para ajudar os outros! Domingo vou mudar para a Igreja Universal do Poder de Deus, daquele outro apóstolo e continuar com meu propósito!”

Perguntado sobre o que vai fazer a partir de agora, o Sr. Valdomiro ainda não sabe. “Talvez eu abra um abrigo ou um banco de microcrédito para os pobres… ainda não sei,pois tem muitas formas que posso ajudar os outros e tenho que escolher dentre as muitas opções!”.
————————————————————-
P.S.: Qualquer semelhança dos personagens, instituições e fatos deste pequeno e (infelizmente) irônico “conto de 1o de Abril” com a realidade é (ou não) mera coincidência. Que Ele traga arrependimento aos duros de coraçãoe esperança aos desesperados. “Mais bem aventurado é dar do que receber” – Atos 20:35

Renato Wong

 

Anúncios

Continuação da série de estudos que relacionam o livro “Axiomas de Zurique”

Oitavo Axioma: “É improvável que entre os desígnios de Deus para o Universo se inclua o de fazer você ficar rico.”.

Dinheiro não é um Fim, é um meio.

Deus não permite que uma pessoa seja rica como forma de premiar essa pessoa, mas sim como forma de permitir que essa pessoa seja instrumento de transformação na comunidade em que vive.

Em Lucas 12:42-48 está escrito

“E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração?

 

Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim.

Em verdade vos digo que sobre todos os seus bens o porá.

 Mas, se aquele servo disser em seu coração: O meu senhor tarda em vir; e começar a espancar os criados e criadas, e a comer, e a beber, e a embriagar-se,

 Virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera, e numa hora que ele não sabe, e separá-lo-á, e lhe dará a sua parte com os infiéis.

 E o servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites;

 Mas o que a não soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá.”

Deus é dono de todo ouro e toda a prata e ele confia estes bens para que os seus verdadeiros servos sejam mordomos desses bens, ou seja, que se esforcem para administrar esses bens da melhor forma possível e não para benefício próprio.

Por esta razão que eu entendo que todo cristão deveria considerar no seu planejamento financeiro de longo-prazo não só gastos com educação, saúde, lazer e subsistência, mas também investimentos em obras sociais, filantropia e missões de evangelização.

A final de contas o nosso dinheiro é dádiva do nosso Senhor, e ninguém pode servir a dois senhores como escrito em Lucas 14:13:

“Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (Dinheiro)”.

O Reino de Deus não é daqueles que servem ao dinheiro, mas sim daqueles que usam seus recursos (inclusive o dinheiro) para servir ao reino.

Guilherme Marto
 

Eu não errei a capa do livro. Eu li “Espiritualidade – onde, quando e como”, mas ele é tão velhinho (1997!!!!) que já foi atualizado para “Trabalho, descanso e dinheiro – uma abordagem bíbilica” (Timóteo Carriker). Segundo a editora Ultimato, é só uma roupagem nova com novas revisões e seleções de versículos. Se não mudou, ótimo, porque o livro é bem prático: direto e objetivo no assunto.

 

Como o novo título fala, ele aborda a espiritualidade desses três temas, mas começa discorrendo sobre a Criação do homem. Vou falar um pouquinho do que eu mais gostei em cada capítulo.

 

CRIAÇÃO – O autor fala sobre a criação e o que ela nos mostra da relacão de Deus com o homem e do homem com a natureza, como somos responsáveis por ela. “Hoje, invertemos isso, pensando que o mundo é objeto para nossa exploração, ao invés de sujeito conosco para a glorificação de Deus. Dominar (gn 1.28) não significa dispor como quisermos, mas “assegurar a permanência e o equilíbrio da criação”.

 

TRABALHO – Às vezes consideramos o trabalho como punição, até pelo fato de, depois do pecado, Deus falar para Adão que ele com esforço conseguirá o seu alimento. Mas isso não quer dizer que o homem tinha sido feito para ficar de papos ao ar (como alguns gostariam), mas o trabalho é valorizado ao longo de toda a Bíblia. Daí a importância de todo o trabalho – seja na Igreja ou fora dela, ser uma forma de servir ao Senhor. Seja o nosso trabalho em escritório, consultório, comércio ou qualquer outro lugar, importa fazermos pensando num propósito maior: “Como meus talentos e minha profissão podem melhor contribuir para os desígnios de Deus e a manifestação dos valores do seu domínio?”

 

DESCANSO – como Deus descansou no 7o dia, nós também descansamos (e na conjectura atual, são 2 dias em 7!) Mas esse ato tem um significado maior, e aí precisa ser levado para toda nossa vida: é uma declaração de confiança no Pai, descansar é assumir a dependência que temos dele.

 

DINHEIRO – aqui está a parte mais “polêmica” do livro, em que o conceito de dízimo é contrariado. Sim. Afinal, Jesus, nunca falou dar de dízimo (aliás, só como exemplo do legalismos dos fariseus). Paulo também não (e ele que mais falou sobre a Igreja que somos hoje, depois da salvação em Cristo). Surpreso? Eu também. Isso, porque no novo testamento, se pede muito mais – tudo que pudermos e em abundância: “Que cada um dê a sua oferta conforme resolveu em seu coração, não com tristeza nem por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria.” (II Co9:7) Essa oferta tanto é para ajudar outras pessoas como para manter a igreja física, atualmente. E até por trás da nossa prosperidade, há um propósito de Deus: “Ele fará com quem vocês sejam sempre ricos para que possam dar sempre com generosidade. E assim muitos agradecerão a Deus a oferta que vocês mandam através de nós” (2 Co 9:11). Jesus vem cumprir a lei, o que significa que ele a reforça e expande para fora dos limites do legalismo, valorizando ainda mais o sentido por trás da ação. Dar 10% por obrigação é uma coisa. Dar o que pode por amor e gratidão ao Pai é outra. E esta diferença é tudo.

 

Aqui está só um resuminho, mas é gostoso ler um livro tão simples e prático sobre espiritualidade, recomendo e agradeço ao Marcos Botelho pelo empréstimo!


 

Taciana Trigo